Resenha: Un Jardin Après la Mousson, Hermès

Faz parte da série de perfumes-paisagem inspirada em jardins que Jean Claude Ellena criou para a Hermès — aqui a inspiração é um jardim indiano após a chuva torrencial, de monção. É tudo pintado em cores pálidas e com a limpidez característica de Ellena (mais aqui): uma nota delicada de melão insinua o aquático, emparelhada com um efeito floral. Elas ganham força através de um acorde inspirado no gengibre, de sensação picante e fria, que no seu auge é próxima do pimentão verde pela textura granulada e aspecto vegetal. Se desenvolve macio, sem emendas, no início mais floral e frutal, com o gengibre ficando cada vez mais presente. A impressão total é estimulante, vigorosa e primaveril, é o meu favorito da série.

Un Jardin Après la Mousson, Hermès.

Un Jardin Après la Mousson, Hermès.
R$349,00 (50 ml)

Em perfumarias selecionadas.

Continue lendo:
  • Mais resenhas dos perfumes de Jean-Claude Ellena: Déclaration (Cartier) e Voyage d’Hermès.
  • Chandler Burr conta da entrada de Ellena na Hermès e a criação de Un Jardin sur le Nil.
  • Pingback: Resenha: Un Jardin sur le Toit (Hermès) | 1 nariz()

  • Pingback: Livro: Journal d’un Parfumeur, Jean-Claude Ellena | 1 nariz()

  • Pingback: Recomende um perfume: flores e frescor | 1 nariz | blog sobre perfumes e resenhas()

  • Sergio

    Não uso perfume feminino, mas ja experimentei esta série numa loja a pedido de uma amiga; eu preferi o Jardin Sur Le Toit; achei que combinava mais com qualquer ambiente, não é inesquecível, mas o considero “elegante”.

    • Sergio, a série de jardins é vendida como unissex

  • Ubiratan Mayka

    Comprei o meu inspirado em sua opinião, Dênis, já usei por 1 semana e posso opinar: Aquático, aquático e mais aquático, com cheiro mesmo de chuva. Senti um gengibre bastante fresco, daquele que se cheira logo que se corta, sabe? Ainda não reconheci, mas espero que a convivência me mostre as pimentas e o cardamomo (este que sinto tão lindamente em Kenzo Jungle l’Elephant). O que me vem sem dúvida no nariz e no cérebro é um inequívoco melão fresco…..deve ser a molécula Calona, sem dúvida. É um belo perfume, mas é bem leve, etéreo, e gostaria que tivesse maior duração, como possui o “Jardim do Mediterrâneo” (que ainda é o “meu jardim preferido”). Fiz uma boa compra, obrigado pela resenha, foi decisiva para obter mais esta obra prima em minha coleção. Abs!

    • Ubiratan, esse é dos poucos perfumes que acho confortável no calor, época que fica tudo desconfortável de usar. Acho que vou dar um oi pra ele hoje… Abraço!