A rosa adulta de L’Eau de Chloé

L’Eau de Chloé é um super exemplo de um dos caminhos do chypre num contexto contemporâneo  — de leis, de vontades do mercado, de estilo. E na minha régua, também o caso do flanker (o perfume derivado de uma matriz) melhor que o original.

Ilustração de René Gruau

A saída é um pouco mentolada do patchuli, que faz a espinha dorsal do perfume. É naquele tratamento contemporâneo: muito limpo, com um ângulo terroso bem sóbrio. Bem diferente do patchuli mofo-de-fundo-de-armário que os hippies apresentaram para o mundo. Aqui, ele dá um efeito borbulhante, que quando o nariz encontra com o lado frutado da rosa, a cabeça lembra de um copo de guaraná. Mas só na saída, daqui para frente é só a textura da madeira e uma lembrança de terra.

A rosa está presente o tempo todo e mantém o clima de austeridade: é sem babados, lacinhos, sem penduricalhos; o que também ajuda na idéia de leveza do perfume. Por contraste com o que está no mercado, rococós de algodão doce, parece que não vai sair da pele, mas sai, e tem projeção discreta e bonita. Ao longo do tempo cresce um acorde cremoso, amendoado, cosmético, que também está em See by Chloé.

Em impressão geral eu discordo da propaganda: não acho tão menina (que, me parece, não vai nem se reconhecer em tanto controle) ou mulherzinha. Se mudar o contexto para adulto e menos romântico o perfume ainda faz bastante sentido, porque tem elegância de ponta a ponta. Vai aguentar o trabalho mais sério, o verão, almas românticas, e tem estatura para passar do dia para a noite. É o meu favorito da marca.

  • Edu Coelho

    Adoro L’eau de Chloé mas minha paixão da casa é o Love, Chloé… aquele aroma de cosmético de luxo – o pote de pó da Dior que a minha avó tinha na penteadeira e que era aplicado com um mega pom pom branco (história verídica). Você mencionou o See e ele me pregou uma peça uma vez. Entrei no carro da minha amiga e falei: que legal você passou Mont Blanc Legend (cheiro da Vila Romana). Ela: não, é o See de Chloé. Eu obviamente fiquei intrigado com aquilo e fui na loja conferir. No momento que aplica é uma coisa, mas no dry down as notas modificam e fica muito próximo ao Legend.

    • Haha, que vó legal essa, vi a cena toda. Cosmético é sempre uma referência de luxo — vc viu que o novo Chanel Les Exclusifs, Misia, se inspira nisso? Pode esperar um combo rosa + violeta!

      Vou reparar no Legend.

  • Cícera

    Olá Dênis! Por favor, gostaria muito de ver uma resenha sua sobre o Coco Chanel EDT. Estou muito curiosa sobre suas impressões. Gosto dessa áurea barroca exalada por ele. Desde já parabenizo pelo seu magnífico trabalho. Mais sucesso em 2015. Por favor, comente sobre o Coco, ele é pouco “explorado” nos blogs dos apaixonados por perfumes. Obrigada!

    • Cícera, vou tentar localizar uma amostra para resenhar.

  • André

    Maravilhoso esse perfume. Pra mim chega a ser melhor que o See by. Na verdade da marca só conheço esses dois mesmo, não tive a oportunidade de conhecer o Love, que dizem ser muito bom também. O que não é legal é o preço, mas vale a pena. Engraçado que tive a mesma impressão que você – não o considero tão feminino assim, por isso usei tranquilo (amostra). Agora, como pretendo me presentear, eu resolvi investir, mas fiquei em dúvida entre ele, o Terre (Hermès) e o Dahlia Noir L’Eau (Givenchy). Talvez minha dúvida nem proceda, mas vai entender minha mente perfumística rs. Gostaria de uma opinião sua; abraço!

    • André, todos tem a ver entre si, um lado madeira em oposição ao frescor, mesmo escolhendo materiais diferentes para cada aspecto. Para o meu gosto, seria Terre ou o Choé. Tudo depende do seu gosto! Sugiro usar mesmo, ir um dia na loja e aplicar como se fosse em casa.

      • André

        Denis querido então naquela primeira ocasião eu fui de Dahlia noir L’eau mesmo rsrs, que coisa…mas não me arrependo viu, é um bom perfume e na minha opinião perfeitamente compartilhável. Mas precisava ter essa versão do Chloé.. Haha e comprei hoje um kit que além do perfume, vem também um hidratante e shower. Quando puder ir a São Paulo quero muito participar do curso Haha! Abraço!

  • Katia Zuleika Souza

    Olá querido Dênis, como vai?
    Que delícia esses comentários, gente!
    Já que ninguém mencionou os demais, vou puxar um pouquinho pro lado do Intense… Escandalosamente cheiroso!!! Tonca, âmbar e sândalo só podia dar nisso, ainda mais com rosa e mel… Eu sempre encontro mel, nos perfumes Chloé (em quase todos) e principalmente nos hidratantes… Estou certa?
    Tenho vidros grandes de todos e não consegui, até hoje, dizer quem é o meu preferido!!!
    Abraços!

    • Katia, os hidratantes e o Intense não conheço. É comum o mel aparecer em perfumes com rosa, no L’Eau eu não detecto.

  • Sou mega fã do EDP, por isso quase catei o L´eau no escuro, mas fiquei com medo do patchouli e abstraí. E agora com esse lance do See, eita, fiquei é em pânico (See é puro ODD de maçã na minha pele).

    • HAHAHA! Tenho exatamente essa sensação de detergente de maçã com o La Petite Robe Noire EDT, me dá até uma torcida no estômago. Não deve ter detergente de maçã na França, né? É um patchuli mansinho, o do L’Eau, Vanessíssima, qual o problema?

  • Lucia Rigueiral

    De todos da marca de que amo muito o L’eau de Chloé é o que mais gosto. É um perfume elegante,discreto mas marca presença onde estiver,na minha pele dura muito!Não acho que seja um perfume para jovens e sim mulheres maduras e confiantes.Não que as pessoas jovens não possam usa-lo pois gosto e preferências são universais!Na minha modesta opinião,super recomendado para todos!!

    • Lucia, estamos de acordo! É um perfume menos valorizado do que deveria.

      • Lucia Rigueiral

        Verdade,deveria até ser mais divulgado!!

  • luzinha noleto

    Quase comprei ele hoje mas resolvi arriscar o Brit Sheer da Burberry. Bem diferente mas os favoridos do meu nariz do dia 😛

    • Luzinha, se me lembro bem o Brit Sheer é fácil de gostar, de usar. (Mas se perguntar minha opinião, fico com o Chloé!)

      • luzinha noleto

        Exatamente. Precisava de um mais para bater, dia a dia.

  • Flávia Simone

    O L’eau de Chloè e Infusion de Íris são os que não fico sem, amo demais. Gosto de usá-los em dias frescos, ensolarados, mas não muito quente, são frescos e leves. Fixação ótima em mim. O engraçado é que quando ganhei uma amostra do L’eau de Chloè achei que tinha um cheiro de vick, mas depois de algum tempo, meu gosto por ele mudou tanto, que comprei o vidrão e não fico mais sem ele. Adoro suas resenhas Dênis, parabéns!.

    • Flávia, tem super a ver vc pensar em Vick — ele tem patchuli, que tem um lado bem geladinho, canforado, nada longe de VickVapoRub. É um grande perfume. (e obrigado!)