Como se comportar diante de uma prateleira de perfumes

Com sorte o leitor ficou animado com a conversa, anotou alguns perfumes no caderno e resolveu sair para experimentar. Por mais que o autor crie personagens e invente metáforas absurdas para tentar evocar o que está dentro do vidro, nada substitui a experiência direta, que é a razão disso tudo. Para quem nunca sabe o que fazer com as mãos onde estiver, as minhas sugestões quando o lugar for a perfumaria.

Antes de ir
  • Anote os perfumes que quer conhecer, leve uma caneta para marcar o nome na fita olfativa – o famoso papelzinho – e um caderno ou livro para colocar as fitas quando sair da loja. Talvez você queira levar uma garrafinha d’água, explico mais adiante.
Na loja sem vendedor (Freeshop, Sephora, The Beauty Box)
  • Ache o primeiro, anote o nome na fita, espirre o perfume. Uma ou duas espirradas basta – eu sempre erro a primeira, ainda mais se for dos frascos complicados. Espere ou agite a fita para o álcool evaporar, ele machuca o seu nariz.
  • Com muito tempo de exposição a um agente a mucosa do nariz satura e não se sente mais nada. E a loja tem cheiro de tudo o que foi espirrado durante o dia. (Porque não previram um sistema de exaustão?) Não encostar a fita no nariz ajuda a evitar excesso de estímulo, deixe uns dois centímetros de distância.
  • Truque dos especialistas da indústria que passam o dia fazendo isso: ao invés de uma inspirada profunda, prefira duas curtas. É estranho no começo mas funciona. Seu nariz vai durar mais nas sessões.
  • Mesmo assim o olfato saturou. Evite o copinho com grãos de café. É uma referência conhecida, um zero, mas é um cheiro. Duas soluções: um gole d’água (por isso a garrafinha) ou inspirar longa e profundamente através da blusa ou camiseta. Filtra o ar de moléculas odorantes e libera a mucosa do nariz.
  • Um número bom de perfumes por sessão é em torno de cinco, para não atrapalhar o nariz nem o cérebro. Com o tempo a capacidade aumenta, preste atenção e aproveite.
  • Eu gosto de dar uma olhada geral, tem sempre um que esqueci de anotar e lembro vendo a embalagem. E arriscar um que não estava anotado, para dar uma chance ao acaso.
  • Guarde as fitas olfativas no livro ou no caderno, com algumas páginas de distância uma das outras. Vá acompanhando de tempos em tempos, com a confusão de cheiros da loja muda muito a impressão quando a gente sai dela.
  • Não espirre direto na pele sem conhecer o perfume. Segundo a lei de Murphy esse você vai odiar e ele terá excelente fixação.
Testando
  • Escolha o favorito e teste na pele. Só um? Acho que até quatro dá, nos punhos e no alto dos antebraços, uma espirrada precisa em cada lugar. Depende da sua capacidade de sair cheirando a quatro perfumes de uma vez e do que vai fazer em seguida. Não torture as pessoas no restaurante, no cinema, no trabalho. Aliás, nem quando for usar o perfume que comprou.
  • Nunca deixe de testar na pele. Papel não tem temperatura, que é o que acelera a evolução do perfume em notas de saída, coração e fundo. Teste CK One num papel e veja como é estranho. As vezes a gente gosta das notas de saída, que se mantém no papel por mais tempo, e o resto do perfume é banal.
  • Acima de tudo, esse teste é para ver se você gosta desse cheiro em você. Observe se continua legal, se melhora, se piora com o tempo. Se a fixação é boa, se tem o tamanho que te deixa confortável. Teste de novo até ficar seguro para comprar. E lembre de guardar na caixa!
Pela internet
  • Roupa e perfume não recomendo comprar sem experimentar. E se tem aquele patchuli que você odeia? Ou o cheiro de anis que te embrulha o estômago? Depois revende ou presenteia? Mas esse sou eu.
  • Se for perfume conhecido, sem problemas. Eu manteria nas lojas grandes (Renner, Americanas, Sephora, The Beauty Box), e não na mais barata, com medo de falsificação.
Na loja com vendedor
  • Houve uma época em que o vendedor era o especialista: o farmacêutico era o vendedor da farmácia, o perfumista era o vendedor da perfumaria. Que traduzia um pedido mal formulado pelo cliente, ajudava a descobrir o que você queria de verdade – ou melhor ainda, o que ficava bem para você – te sugeria outros parecidos, te dava uma aula se você quisesse. E nem queria vender. Mas isso faz muito tempo.
  • O que não vai dificultar a sua vida se você quiser experimentar os cinco da sua lista. Mas para uma sugestão, para conhecer outros perfumes, a coisa complica. Se você encontrar esse vendedor aí de cima, só compre com ele, prestigie, seja fiel como nunca foi, indique para os amigos e para mim. Ele vai retribuir.
  • Talvez ele queira vender o último lançamento. As vezes ele não entende mais que você. Frequentemente os adjetivos para descrever um perfume, qualquer um, triangulam entre banho tomado, amadeirado e marcante. Pode ser que ele entenda alguma coisa errada: – Estou vendo que você gosta de Hermès, prove este Fendi que também é super exclusivo. Convoque o jogo de cintura e confie no seu nariz.
  • Num mercado que tem mais de mil lançamentos por ano a criatividade fica restrita. Você pode puxar assunto perguntando de algum perfume que não parece com os outros. De resto tudo normal, testar na pele é praxe, não comprar também.
Uma tática de guerrilha para viagens
  • Se você domina a língua local é mais fácil e talvez não precise de nada. Essa nasceu espontaneamente. Consiste em ir em dupla, um vai se dirigir ao vendedor, fazer perguntas, se interessar, enquanto o outro está completamente livre para cheirar o que quiser.
Amostras
  • Eu peço. Nunca consegui as que queria. Nem as que não queria. Parece que ficou combinado que amostra é para quem compra. Em viagem é mais fácil. Mas seguimos tentando.
  • Você comprou e vai ganhar algumas. Melhor ter em mente uns nomes que quer conhecer para não levar o último da Shakira só porque ele está em cima na gaveta.

Foto: Andrea Gursky, 99 cents

  • el

    óia só, o café nao ajuda?!
    gostei da tática de guerrilha, doravante será minha predileta para qlq aquisicao.

    • el, é a técnica pantaneira do boi de piranha, depois vim a descobrir! o vendedor ideal lê a mente do cliente.

  • cicaazevedo

    Otimo post, otimas dicas. Bjs. Ciça

    • Obrigado, Ciça! o que vc esteve comprando na guerlain?

      • Ciça

        Sim. Na verdade o Élcio que usa guerlain faz tempo. Usa Heritage, vetiver e homme. Foi só repor. Ele acabou de ir embora p o br e, vou levar de supresa p ele o muchoir de monsier. Mas enquanto
        ele fazia suas compras fiquei cheirando os antigos perfumes de mulher. Minha mãe usou durante mtos anos o shalimar, fui senti-lo para lembrar dela e experimentei outros tantos.

  • amei as dicas e a linguagem, querido, parabéns! vou compartilhar! bjk
    Bel

  • NILTON SEGNINI BOSSOLAN

    Divertido e corretíssimo !!!! Parabéns pelo 1 nariz.

    NILTON

    • Nilton, acho que falei de vc hoje com a Ale, fiquei sabendo que trabalham juntos. tem produto novo no forno?

      • Oi Dênis,
        Trabalhei com a Alê nos últimos 15 anos (afff) , agora ela está em carreira solo e bem feliz.
        Te adicionei no FB para manter contato e trocar figuras.
        Parabéns de novo pela iniciativa. Até já.

  • Paola Patriarca

    Denis,
    na França a Sephora geralmente prepara umas amostras dos perfumes que voce pretende usar. para quem tem o cartao de fidelidade fidelidade. Usei bastante essa estrategia e depois obviamente comprava a que tinha gostado mais.. Espero que a Sephora daqui tambem tenha essa atitude.
    Adorei o blog!

    Paola

    • Paola, obrigado pela dica! já li de gente leva um frasco de amostra novo e pede para fazer nas lojas no exterior, em geral sem muito problema. as vezes fazem sem pedir também. eu fico achando que quanto mais gente falando, testando e conversando sobre perfume, mais se vende.

  • Adorei as dicas. Parabéns mais uma vez pelo 1 Nariz

    • obrigado, edu! vou preparar uns outros guias nesse estilo, apareça.

  • Aniele

    Olá! Adorei o 1 Nariz! Meu marido vive reclamando que não sabe comprar perfumes… Eu trabalhei um tempo numa loja que vendia perfumes e tomei gosto por eles. Pena eu ter alguns problemas com fixação. Minha ultima aquisição foi o J’Adore da Dior. Havia comprado o kit de natal. Detalhe: o hidratante fixou mais que o perfume…rs
    Já para o esposo compramos um 212 Men da Carol Herrera.
    Diz um amigo nosso (conselheiro de casais) que devemos comprar o perfume para o outro. No caso, dei 3 opções ao marido e ele quis o da Dior e eu escolhi o 212 porque ele é muito bom e mesmo depois de horas (6 a 8) você ainda sente o coração do perfume…
    Obrigada por esse blog, adorei mesmo!!!

    • Aniele, pessoalmente acho difícil presentear com perfume pq é fácil de errar, mas vc arrumou uma boa solução apresentando três opções. vou sugerir quando falar sobre isso, obrigado!

      sobre a fixação: os perfumes duram menos em pele seca, talvez por isso o hidratante tenha funcionado melhor. borrifar na roupa é um jeito de contornar o problema.

      • Aniele

        Obrigada pela sugestão. Vou tentar usa-lo mais na roupa.
        Um abraço!

        • Aniele, depois conte se funcionou. sorte!

          • Aniele

            Entao…nao deu muito certo nao (desculpe a falta de acentos), ele some muito rapido. Ou eu me acostumo demais ao seu cheiro…sei la.
            O que eu descobri eh que non Centro de SP ha uma rua onde vendem os oleos essesnciais de varios perfumes.
            Dei minnha ultima cartada la. Comprei 50 ml de oleo das “inspiracoes” Euphoria – Calvin Klein e do meu favorito J’Adore – Dior.
            Resultado?
            O oleo funcionou perfeitamente! Nem acredito que a fixacao ficou tao boa…voce sabe de onde estou falando? Ja foi la?
            Eh com certeza uma miriade de cheiros uns adoraveis outros…nem tanto. Mas vale a pena conferir. Quanto ao J‘Adore que eu tenho…So em ocasioes especiais e levo o reforco dentro da bolsa num vidrinho lindo que comprei la tbm.
            Bjos pra vc! Sucesso!

  • Atualizei até no Google Plus esse post pra compartilhar mesmo.

    • oba, agradeço, Danilo. ainda não explorei essas outras selvas de redes sociais, mas vou fazer isso já.

  • henri345que

    Ficou excelente a matéria, até desmistificou o caso do café, que muitos acreditam ser mesmo uma forma de zerar o olfato quando nao é – a melhor coisa é respirar ar fresco mesmo, e na falta dele o que você disse faz muito sentido. E borrifar na pele é a melhor forma de conhecer, exatamente pois na fita olfativa o perfume evolui de forma diferente mesmo, mais devagar – já evoluíria assim naturalmente, mas as fitas olfativas são preparadas especialmente para desacelerar a evolução.
    Quanto a vendedores, no geral elas realmente não ajudam, mas as vezes você encontra algumas simpáticas, que gostam de perfumes, e se você demonstra um pouco de conhecimento alguma se mostram outra pessoa. Já até uma vez ganhei amostras de uma muito simpática, sem nem pedir rs

    • tem algum produto nas fitas olfativas que retarde a evolução do perfume, henrique?

      • henri345que

        Eu não me lembro de qual Dênis, mas uma vez fui procurar fitas olfativas para comprar e essa era uma característica que aparecia em algumas que eram vendidas…

  • Pingback: Um perfume para sua mãe | 1 nariz()

  • Guto

    Ótimo post, Dênis, dicas perfeitas e muito bom humor, diverti-me bastante lendo-o.

  • Susey

    Amando o blog.
    Adoro perfumes e estou aprendendo muito.
    O Denis um gentleman.
    parabéns!

    • Susey, vai me contando o que vc acha daqueles perfumes que te indiquei. obrigado por acompanhar!

  • NATHALIA

    Na minha cidade não tem perfumaria e o que mais faço é comprar no escuro…mas eu participo de um site (Fragrantica), conhece? Já troquei muitos perfumes por lá, com outros membros…
    As poucas vezes que fui em perfumarias, não gostei, encontrei vendedoras que não entendiam nada de perfumes e ainda faziam cara feia quando eu queria experimentar uma quantidade maior…Uma vez encontrei uma vendedora legal, que me deu amostras sem eu pedir, desta vez comprei 2 perfumes com ela…Mas não me sinto à vontade, gosto de lugares onde eu mesma experimento os que quiser, como a Sephora, que nunca visitei…

    • Nathalia, evito comprar no escuro por preguiça de ir atrás para vender depois. anunciar, colocar no correio… acho que é falta de costume.

      gosto muito do fórum do fragrantica.com.br, mais fácil de acompanhar e discutir que nos grupos do facebook. e um ótimo jeito de trocar amostras. pena que não tem tanto movimento. vamos fazer uma campanha?

      e os vendedores! a velha dança da venda. melhor seria que eles acompanhassem o nosso ritmo ao invés de ficar tirando a gente para dançar, não é?

  • Cleide Vieira

    Dênis, tenho algumas dúvidas sobre presentear alguém com perfumes. Dizem que gravatas e perfumes não se enquadram nessa categoria por causa do gosto de cada um. O que você acha disso? caso não veja problemas minha dúvida é como presentear sem desagradar, como tentar perceber o que a outra pessoa gostaria? que fatores levar em conta caso não se saiba a marca de predileção da pessoa.

    Lembro do tempo que se dizia que uma mulher era conhecida por alguma fragrância, ela entrava no ambiente e já se sabia quem estava chegando, hoje eu duvido que alguém tenha um único frasco, temos sempre 3, 4 ou 5 em uso! Fim de ano chegando e lá vamos nós procurar presentes e dicas como as suas são sempre bem vindas. Abraço. Cleide

    • Cleide, eu acho bem complicado dar qualquer coisa de presente, perfume acho ainda pior. me tortura a imagem da coisa mofando numa gaveta, esperando dar o prazo para a pessoa se desfazer com menos culpa.

      Na minha cabeça uma seleção de amostras seria o ideal para acertar — e garante alguns dias de diversão para a pessoa enquanto ela testa. Mas vc teria que conseguir as amostras nas lojas, ou se embrenhar em grupos de discussão e negociar com as pessoas. Tem que querer muito. Lojas: parem de regular amostras, vcs vão vender mais.

      De qualquer forma, falei sobre presentear com perfume aqui (e porque este post ficou tão escondido?) http://1nariz.com.br/2013/guias/perfume-para-mae

  • Cleide Vieira

    Dênis grata pela resposta. Vou ler o post, mas no fundo concordo com você em saber que nos empenhamos tanto para dar um presente e ele fica mofando num armário. Aliás isso acontece com outras coisas também, roupas, bijoux, enfim, é difícil presentear. Embora o jeito mais fácil seja aquele dos vales-presente eu também fico dividida, na medida que, com essa atitude, você não colocou nenhum carinho na escolha, foi à loja e comprou um vale, algo mecânico sem sentimento e presentar é um ato de amor, de atenção. Abraço. Cleide

  • Normalmente faço a blasé, mas no fundo estou em frenesi como um .gif do Kermit.
    Pensando bem, não. Deixei de me emocionar na maioria das perfumarias. Apenas tento manter a calma e não me aborrecer (obviamente ando frequentando as perfumarias que você não frequenta). Morri de rir com a diquinha do cheirar através da camiseta, será que não vão achar que estou cheirando cola?
    Acho que a garrafinha ajuda no estilo blasé, cê não acha não?
    Eu sempre tento fazer a “cliente X”, que não entende nada, só pra ver a arapuca.

    • hahaha, gostei da cliente X, para quem sempre empurram o ultimo lançamento.

      eu vou variando, em geral é mais “na simplicidade”, quero conhecer esses perfumes aqui. outras eu puxo um papo com alguma história, a última foi “estou com a teoria que os perfumes que tem versão masculina e feminina, a masculina é sempre pior. o que vc acha?”

      a garrafa de água e anotar o nome nas fitas passaram, mas tenho usado bastante sair da loja para sentir o perfume num ar mais limpo.

      entre a blasé e a cliente X, qual leva a melhor na relação com o vendedor?

      • A cliente X ganha simpatia no início, mas deixa a vendedora muito confusa, meio sem graça de não conseguir agradar a “consumidora comum” (na real, sempre acham que é questão de dinheiro). Já a “blasé” incomoda no começo, mas se a vendedora se esforça por mostrar algo diferente, acaba ficando meio “orgulhosa de si”, sabe como é? E se não vender, não fica se achando tão incompetente (a culpa não é dela, né? São dos perfumes).
        Ao menos acho que sim, já estive do outro lado do balcão e sei como é difícil lidar com os dois tipos de cliente: o que não sabe o que quer e o que não se impressiona com nada que a gente mostra.
        Um dia, há muito tempo atrás quando eu era mocinha, um cliente comprou comigo uns 5 frascos de CK Be para usar como aromatizador de ambiente… Tough guy.

        • hahaha, eu vou tentar esses personagens! meu medo é sempre queimar o filme na loja, que é sempre a mais perto de casa, e ter que parar do outro lado da cidade. (tem o livro de uma crítica de restaurante que compra peruca, roupa, desenvolve personalidade para cada disfarce.)

          Vanessa, por favor, vc tem que fazer um post contando desse lado de lá do balcão, dos tipos de cliente, do que rola entre as vendedoras, essa coisa toda. com a sua verve!

  • Sil Vaninha

    Nossa, como fiquei contente quando falou de cheiradas curtinhas e dentro da camiseta, eu também fazia isso e colocava as fitinhas dentro de uma agenda, me identifiquei muito! Quanto a não gostar de perfume que testei na pele, acho até que a lei de Murphy nem funcionou me mim, a maioria eu gostei,rsrs
    Adorei conhecer, vim pelo Perfume na pele, abraços!

    • Sil, seja muito bem vinda, em breve volto com novos posts frescos.

  • Cleyton Paulino

    Cara, gostei dos seus post.. bem interessantes. A respeito da compra no “escuro”,eu pela segunda vez comprei e me f@#$..kkk.. fui pelos comentarios que descreviam algo muito bom, SQN!! O ultimo da vez foi o 360 Perry Ellis .. não gostei.
    #Nãocomprem #perfumenoescuro e nem por comentários .. :// kkk

    • Cleyton, vou fazer minha caveira aqui: ei meu braço a torcer uma vez só seduzido por uma promoção e depois de ler muitos comentários de gente que confio. e deu certo. talvez tenha que encontrar gente com o gosto muito parecido com o seu – e conhecer o seu muito bem, claro.

      • Cleyton Paulino

        Bem isso, comprei com a intenção de ser surpreendido, sabe!? Só que nao deu certo de novo..kk.. ultima vez também.

  • Danielle Fernandes de Rivi

    Trabalhei na L’occitane Au Brèsil e garanto que fui a primeira vendedora citada logo acima HAHAHA, sempre perguntando o que o cliente gosta, explicando cada nota olfativa, como vai ficar conforme o tempo, quanto tempo de duração, como vai ficar na pele dele, com quem o cliente convive, em que ocasião ele pretende usar, se é presente para alguém de outra região, comento as resenhas dos clientes que voltaram, a diferença de perfumes e tudo mais que ele quiser perguntar. Adorava a variedade de perfumes daquela empresa. AHAHHA, hoje sai e trabalho na Vyvedas, uma pena não ter tanta variedade de perfumes e sim oleos essenciais. (Que estou aprendendo)